domingo, 17 de dezembro de 2006

VASCONCHEQUES...

O consensualíssimo Presidente da ERSE, Jorge Vasconcelos, apresentou a sua demissão cerca de dois meses após ter sido contrariado (ou, se quiserem, desautorizado) na subida de 16% das tarifas eléctricas pelo Ministro da Economia. E quase um mês depois de assistir calmamente, da primeira fila da plateia do "Prós e Contras", a rasgadíssimos elogios de todos os quadrantes eléctricos da Nação.

O salário mensal do Presidente da ERSE é de 18.000 euros. Tal com os restantes Administradores demissionários, salvaguarda apenas 12.000 euros por mês durante 2 anos, após abandono do cargo.

Se bem que os estatutos da ERSE não determinem naturalmente os valores das remunerações, nos termos do seu artigo 28º " os membros do Conselho de Administração estão sujeitos ao estatuto do gestor público em tudo o que não resultar dos presentes estatutos.”, estando assim imunes às normas aprovadas em Conselho de Ministros, no dia 19 de Outubro deste ano, onde se introduzem tectos de remuneração e se limitam regalias dos gestores de organismos públicos.

Bom Natal, caro Jorge!

1 comentário:

Augusto Abrunhosa disse...

Trapalhadas agora ainda as houve maiores. Vai feliz e contente? A ceia de Natal de Vasconcelos será com Cavaco Silva a discutir o futuro da ERSE? Será a ceia de natal de José Sócrates com a sua comissão política a ver quem sucede a Manuel Pinho?